Go to English Blog

Dicas para quem quer começar a palestrar

Leia em 15 minutos

Eu palestrando no 16º Encontro Locaweb

Muitas pessoas me perguntam como se tornar um palestrante ou como fazer slides melhores com uma certa frequência. Eu normalmente dou algumas dicas, mas não dou detalhes, pois é um assunto complexo.

Então, desta vez decidi documentar neste artigo uma série de dicas que podem auxiliar você nessa difícil tarefa que é entregar conteúdo útil em uma palestra com tempo limitado.

Escolhendo o tema

Escolher o tema do que você quer palestrar é uma das tarefas mais difíceis. O maior problema é que achamos que não temos nada interessante para falar. E isso simplesmente não é verdade!

Sempre existirão pessoas mais experientes que você em eventos, assim como também sempre existirão pessoas que estão começando e que são menos experientes. Por isso, mesmo que você julgue seu tema como sendo básico, ele pode ser avançado e interessante o bastante para estas pessoas.

Além disso, mesmo que seja um assunto que já foi exaurido, você pode dar uma nova perspectiva sobre o assunto. Basta não falar o que já foi dito extensivamente por outras pessoas.

Um problema muito comum é sobre o escopo de sua palestra. Tenha em mente que o tempo reduzido tornará difícil a tarefa de abordar um escopo muito grande. Por isso, experimente focar em uma parte do conteúdo em vez de tentar abraçar o mundo.

Falando sobre algo que você domina

Se você está dando sua primeira palestra, escolher um assunto que você domina é uma excelente escolha. Isso porque você poderá se dedicar em aprender como palestrar melhor, em vez de também ter que aprender sobre o assunto da palestra.

Estas palestras podem beneficiar pessoas experientes e inexperientes. Para pessoas experientes, você pode falar sobre dicas e assuntos mais avançados. No caso de pessoas inexperientes, você pode dar dicas que como ter um início mais sólido, tirando da frente problemas que você mesmo já enfrentou.

Falando sobre algo que você tem interesse

Às vezes você decide por falar sobre algo que você tem interesse. Dar uma palestra sobre este assunto é uma excelente maneira de se aprofundar e aprender mais sobre ele. Penso que é melhor fazer isso quando você já tem uma certa experiência em dar palestras, já que você precisará se preocupar em aprender mais sobre o que vai falar.

Normalmente são palestras apaixonadas e que podem estimular os participantes por causa de sua empolgação sobre aquele assunto.

Falando sobre algo que é popular

Uma excelente maneira de garantir que sua palestra seja aceita em eventos é falar sobre assuntos populares do momento. Neste caso, você pode abordar o assunto sobre a ótica de porque ele é mais relevante que uma tecnologia concorrente ou porque alguém deveria considerá-lo para começo de conversa.

Falando sobre algo que é importante

Muitos assuntos são de suma importância e também tem grandes chances de fazerem sucesso em conferências. Eu, por exemplo, gosto muito de falar sobre segurança em aplicações web, pois mesmo sendo um assunto essencial e muito apresentado, ainda não é algo que todos dominam (e que muitos desconhecem totalmente).

Quando apresentadas com um tom de urgência, podem estimular os participantes a procurarem mais sobre o assunto após a palestra.

Preparando sua palestra

Depois de escolher o tema, é hora de preparar sua palestra. Ultimamente tenho usado mindmaps para organizar as minhas ideias. Veja, por exemplo, como ficou o mindmap da minha palestra da Rubyconf Brasil 2015.

Mindmap da minha palestra 'Criando aplicações mais fáceis de manter com Ruby on Rails'

Me arrependo de não ter usado mindmaps antes. Eles realmente facilitam o modo como você visualiza os tópicos pertinentes à sua palestra. Você pode adicionar tudo o que pretende falar (ou não), de um modo rápido e que servirá como guia para a produção dos seus slides depois.

Mesmo que você conheça sobre o assunto que vai falar, é importante estudar um pouco mais sobre ele. Além disso, saber como outras pessoas abordam o mesmo assunto podem dar algumas ideias novas. Confreaks, Speaker Deck e SlideShare são excelentes fontes de pesquisa que uso frequentemente com este intuito.

Blog posts também são ótimos para explorar ideias sobre o assunto que você vai falar, servindo como confirmação de algo que você acredita, como contra-ponto ou até como objeto de crítica. Quando estou pesquisando para palestras, acabo com centenas de abas abertas em meu navegador, então use um navegador separado para fazer essas pesquisas.

Organizando o texto

Seus slides devem ter poucas palavras. Evite cair na armadilha de ter escrito tudo o que você vai falar de qualquer modo. Em vez de ter diversos bullet points no seu slide, tenha vários slides com uma frase que sumariza o que você quer dizer.

Veja os slide à seguir, de uma palestra sobre aplicações distribuídas escritas em Ruby:

Slides com bullet points

Eles poderiam ter sido apresentados de uma maneira muito melhor, mesmo que a sua fala seja exatamente igual.

Slides sem bullet points

No exemplo acima, basta mudar os slides mais rapidamente para explicar cada um dos tópicos, em vez de ficar parado com todo aquele texto na tela. A maior vantagem para esta abordagem é que os participantes não irão despender muito tempo lendo o slide e poderão se concentrar em ouvir o que você tem a dizer.

Pensando no design de seus slides

Quem não gosta de ver uma apresentação bem feita, com slides bonitos que mostram o cuidado que a pessoa dedicou ao fazê-los? Eu sim! Então saiba que não é preciso ser um designer experiente para deixá-los visualmente interessantes, como você pode ver nas dicas à seguir.

Eu palestrando no 16º Encontro Locaweb

Use fontes grandes. Use um tamanho que seja confortável para ler de qualquer lugar da sala. Para que isso funcione bem, siga a dica anterior, aquela de usar pouco texto nos slides.

Use uma fonte que possua diferentes variações de pesos. Assim você mantém o design coerente, permitindo mudar o estilo quando precisar. Eu recomendo a fonte OpenSans, distribuída gratuitamente. Use “OpenSans Extrabold” para definir títulos ou frases importantes. Use “OpenSans Regular” para definir outros textos.

Use sempre cores que tenham bastante contraste. Projetores dificilmente terão resolução suficiente para exibir adequadamente uma esquema de cores de baixo contraste. E mesmo que tenham, é muito provável que a iluminação do lugar desfavoreça o seu uso de cores. Você não precisa usar um esquema de cores super elaborado. Veja como é possível obter diversos temas diferentes simples apenas mudando a cor de fundo do slide:

Diferentes cores de slides

Na dúvida, use o bom preto (cor do texto) no branco (cor de fundo).

Crie seus slides para telas widescreen. Hoje tenho feito todos os meus slides em 1280x720 (720p). Não me lembro de quando foi a última vez que usei um projetor que não suportava esta resolução. A vantagem é que seu slide ocupará todo o espaço útil disponível para a projeção.

Garanta que seu display está configurado corretamente para apresentar nesta resolução. No Mac, você pode ir em System Preferences e, então, Displays. Selecione a resolução 720p ou 1280x720.

Preferências de monitor: Resolução de 720p

Se estas resoluções não forem listadas, pressione a tecla option e clique na opção Scaled; isso exibirá todas as opções disponíveis para aquele projetor.

Lista de resoluções disponíveis no Mac

Use fotos do tamanho do slide e adicione o seu texto como uma camada sobre esta imagem. Fotos são excelentes para ilustrar ideias e deixar os seus slides mais bonitos. Também são uma ótima maneira para ilustrar frases que você está citando. Veja como um slide falando sobre a famosa frase de Steve Jobs:

Foto com tamanho normal para ilustrar uma citação

Se você usar uma imagem melhor que ocupe todo o tamanho do slide, terá uma apresentação que causará muito mais impacto:

Foto usando todo o tamanho do slide para ilustrar uma citação

Nem sempre é possível escrever o texto diretamente sobre a imagem; nestes casos, use uma caixa com um fundo preto (talvez até com 90% de opacidade) para que seja fácil distinguir o que está escrito.

Use animações para mostrar exemplos mais claramente. Animações devem ser usadas para um propósito. Animações entre slides devem ser rápidas e sem muita firula.

Trabalhando na narrativa

As melhores apresentações contam histórias. Elas iniciam com um problema, desenvolvem o assunto durante a apresentação e, por fim, encerram com uma conclusão (mesmo que a conclusão seja não ter concluído nada).

Tente ligar a narrativa dos slides de modo que você fazer a transição entre eles sem pausas bruscas.

Inicie a apresentação. Aqui normalmente começo dizendo algo como “Olá, tudo bem? Hoje vou falar um pouco sobre [assunto].”. Não se apresente aqui ainda. Você já pode iniciar com um pouco de contexto, explicando porque este assunto é relevante.

Fale um pouco sobre você. Faça uma apresentação bem rápida e sucinta. Não fale o seu currículo inteiro, pois parecerá que você apenas está se gabando de suas conquistas (mesmo que sejam besteira pura, como certificações). Do mesmo modo, não perca muito tempo apresentando sua empresa; os participantes não estão ali para ouvir seu spam comercial.

Escopo. Aqui é preciso prender a atenção dos participantes. Fale sobre os problemas que sua palestra tentará elucidar. Faça declarações que você irá detalhar posteriormente. Faça com que o suspense mantenha os participantes envolvidos com a palestra.

Faça sua apresentação. Aqui não tem muito segredo a não ser praticar o que você pretende falar. Pense em pausas na fala, o modo como você pretende abordar o tema e, se for você for bom nisso, como pretende encaixar piadas.

Se você for apresentar códigos, utilize um tema claro, ou os participantes podem não conseguir ler por causa do contraste do projetor. Também não adianta nada usar fontes tamanho 11 apenas para adicionar mais código ao slide.

Crie pequenos blocos de código, com syntax highlight, suficientes para dar o contexto; o código não precisa ser funcional. Se o seu editor não tiver suporte para copiar código como RTF (no Sublime Text, tem a extensão SublimeHighlight), use o pygments. No Mac, você pode usar algo como o comando abaixo:

pbpaste | pygmentize -l ruby -f rtf -O style=friendly | pbcopy

Se você pretende fazer live coding, pense duas vezes. A probabilidade de algo dar errado é muito grande. Em vez disso, prefira gravar um screencast, sem voz mesmo, e faça a narração no momento da palestra. Faça isso também se você precisa de conexão com a Internet. Acreditar que você terá uma rede disponível com banda suficiente para você é apostar no incerto.

Ao fazer um screencast, grave apenas a janela do programa que você está utilizando. Lembre-se de utilizar um tamanho menor que a resolução dos slides (1280x720) e, em hipótese alguma, grave a tela na resolução total.

De uma forma geral, para códigos, utilize uma fonte monospace com tamanho 20 ou superior. O mesmo se aplica ao tamanho do terminal em caso de screencasts.

Faça um recap. Palestras técnicas poder ser muito densas. Por isso, coloque em suas conclusões finais os pontos que você quer que os participantes levem de sua palestra.

Encerre a apresentação. Ao encerrar sua conclusão, é hora de agradecer pelo tempo. Aqui eu gosto de terminar com um slide escrito “Obrigado”. Normalmente falo algo como “Bom, era isso que eu tinha para fazer para vocês. Obrigado.”. Ao fazer isso, não fica aquele silêncio constrangedor, já que este tipo de frase fará com que os participantes aplaudam o apresentador.

Abra para perguntas. Assim que os aplausos cessarem, abra para perguntas se o tempo permitir (e se fizer sentido). Lembre-se de responder sinceramente às perguntas e, caso você não saiba algo, não tenha vergonha de dizer isso. Muitas perguntas assumem um contexto que você não tem a menor ideia. É melhor jogar aberto e dizer que não sabe como algo funcionará neste contexto do que falar uma besteira e ficar marcado por isso para sempre.

Fazendo a apresentação

Controle e adaptadores

Compre um controle remoto para fazer sua apresentação. Eu tenho um Logitech R400 e ele funciona muito bem, sem ser muito caro. Verifique um dia antes da palestra se a pilha ainda tem carga. Na dúvida, tenha sempre pilhas novas de backup na sua mochila.

Lembre-se também de levar adaptadores de vídeo, principalmente se você tem um Macbook. A maioria dos eventos assume que você seu notebook tem entrada VGA ou HDMI e você terá que usar um notebook emprestado. Tenha um adaptador de cada tipo (você consegue encontrar estes adaptadores no Mercado Livre por volta de R$30 cada).

Gravando sua palestra

Muitos eventos não disponibilizam as gravações da conferência. Uma coisa que você pode fazer é gravar sua palestra e disponibilizar depois.

Na conferência Web.br deste ano, nem todas as palestras foram gravadas. Então, para evitar que o conteúdo se perdesse, decidi gravar a tela enquanto fazia a apresentação. Para que o áudio ficasse com uma qualidade boa, usei um microfone de lapela que fez a gravação do áudio separada no meu iPhone. Depois sincronizei tudo no ScreenFlow. O resultado foi excelente.

Ao fazer isso você também aumenta o público que sua palestra pode alcançar. Lembre-se que muitas pessoas podem não ter os recursos necessários para participar de eventos em outros estados, e assim você irá disseminar o conhecimento com mais abrangência.

Você não precisa gastar dinheiro com um microfone como este se não quiser. Os fones de ouvido com microfone que vem com seu smartphone consegue fazer o trabalho muito bem. Basta achar uma maneira de deixar o microfone preso na sua roupa.

Por não ter seguido esta dica antes, dezenas de palestras que dei se perderam. Não deixe que isso aconteça com você também.

Configurando a tela do apresentador

O Keynote permite configurar uma tela de apresentador. Use-a a seu favor. Coloque anotações que permitam lembrar números sobre pesquisas, nomes de pessoas, datas e/ou outros fatos curiosos que você possa esquecer.

Configure também o tempo restante para sua palestra, para que você possa controlar o tempo dedicado a cada slide. Vale lembrar que não existe um cálculo mágico de tempo por slide e isso depende muito mais de quanto detalhe você quer dedicar e, embora treinar sua palestra dê uma ideia de quanto tempo você precisa, às vezes esse tempo varia porque você decidiu improvisar no palco. Para ativar o modo do apresentador sem estar com um monitor externo, utilize o atalho command-shift-R.

Tela do apresentador

Configure esta tela da maneira que você acha melhor. Eu gosto de dar destaques para notas, mas saber qual é o próximo slide ajuda bastante na hora de dar continuidade na narrativa de sua apresentação.

Se você pretende usar animações, acostume-se com as indicações que esta tela dá para saber quando a animação está em andamento e qual é a próxima animação.

Como falei sobre atalho de teclado, aqui vai uma dica para usuários de Mac: no Keynote, você pode pressionar / para ver um guia com os atalhos disponíveis.

Ajuda com atalhos disponíveis

Aprenda alguns deles, pois são extremamente úteis:

Um outro atalho muito útil do Mac é command-F1, que alterna entre o modo estendido de monitores e o modo espelho. Assim você não terá que ir até o Display Settings só para mudar esta opção.

Um lembrete muito importante: nem todas as conferências irão fornecer uma segunda tela de apresentador grande, como televisões no chão. Isso é especialmente verdade para eventos menores. Se você, por algum motivo precisar ler as notas de seus slides, aproxime-se de seu próprio notebook discretamente no slide anterior.

Outras coisas para ter em mente

Não faça apresentações sem estar conectado a uma fonte de energia. Mesmo que carga da bateria esteja completa, o uso de dois monitores consome mais energia e você pode acabar ficando na mão. Seria vergonhoso ter que parar sua apresentação para conectar o seu carregador.

Desabilite seu wi-fi. Principalmente se você estiver conectado em uma rede. Você pode receber notificações de redes sociais ou ter problemas de rede (colisão de endereço IP, por exemplo), onde um alerta pode tirar o foco da apresentação.

Desabilite o protetor de telas. Se for usar uma apresentação feita em HTML, lembre-se de desabilitar o protetor de telas. Isso normalmente não é um problema para quem usar programas como Keynote ou Powerpoint. De qualquer modo, você pode instalar programas como Should I Sleep ou Caffeine para garantir que seu notebook não irá ativar o protetor de telas.

Coloque seu telefone em modo avião. Para evitar distrações, é melhor simplesmente silenciar seu telefone. Assim, se alguém te ligar ou mencionar você em alguma rede social, não perderá o foco.

Chegou o grande dia

Finalmente chegou o grande dia. O nervosismo pode bater na porta e você acha que vai fazer uma palestra ruim. Primeiro, acalme-se (ou pelo menos tente). Todo mundo fica nervoso, até mesmo os palestrantes mais experientes. A única solução para isso é se preparar e… fazer mais palestras!

Palestre o máximo que você puder em grupos de usuários locais antes de palestrar em conferências maiores. Se a sua cidade não possui nenhum desses grupos, aproveite a oportunidade e comece um. Faça apresentações na sua empresa, pedindo sugestões. Apresente para ninguém, falando sozinho como se fosse louco. O importante é apresentar de algum modo, para sentir o que pode ser melhorado.

Treine diferentes tipos de entonação. Isso prenderá a atenção de quem estiver assistindo. Sua voz pode ser usada para ditar o ritmo de sua palestra. Falar mais rápido pode ser usado para trazer energia para algo que você acha que é empolgante. Pausas são ótimas para dar ênfase a algo que você acabou de falar. Falar mais devagar pode ser usado em momentos que você queira que as pessoas prestem mais atenção. Acima de tudo, não deixe o tom monótono ditar sua palesta.

Gerenciando o dano. Eventualmente, as palavras sairão de sua boca de um modo que não era sua intenção. Você vai, sem intenção, ofender pessoas. Você vai esquecer o que tinha para falar em um determinado… é, deu branco! Ou ainda, contar uma história longa e chata que só depois que começou a contar é que percebeu que era melhor não ter dito nada. Pois é, isso acontece.

A melhor maneira para lidar com essas situações é continuar sua apresentação, sem dar muito foco para essas coisas. Termine rapidamente o que você acha que não está funcionando, e continue sua apresentação. Se for algo muito ruim que merece retratações, faça isso depois que a palestra terminar em um blog post ou sua rede social favorita.

Finalizando

Palestrar e dar a cara a tapa não é para todo mundo. Se você quer palestrar, lembre-se que pessoas irão criticar você. Lembre-se que, eventualmente, você vai cometer algum deslize e vai falar besteira. Lembre-se que muitas pessoas estarão em seus notebooks/smartphones, mas não se sinta ofendido por isso. Lembre-se também que pessoas vidradas, sem se mexerem muito pode ser um sinal de que sua palestra está muito interessante, mesmo quando seu cérebro diz o contrário.

Tente manter a calma, não importa qual seja a reação do público. Se você acha que a reação das pessoas pode afetar a sua performance, olhe sempre em frente, acima das cabeças dos participantes sem se preocupar com o que você acha que eles estão pensando.

O nervosismo que você sente, é o mesmo para todos. A diferença é que com experiência, você conseguirá gerenciá-lo melhor. Com a experiência, seu nervosismo irá embora logo nos primeiros slides. Por isso palestrar mais vezes é importante.

Fazer uma palestra exige muito mais dedicação do que você pensa que é necessário, mas no fim, vale muito a pena. Parabéns por dar esse importantíssimo passo em sua carreira e na disseminação de conhecimento. Mas não é só isso.

Palestrar em conferências é uma excelente maneira de conhecer pessoas interessantes. Afinal, tem bastante gente para interagir dentre os organizadores, palestrantes e participantes da conferência. ​

Foto com Almir Filho, Jaydson Gomes, Jean Carlo Emer e alguns participantes — 16º Encontro Locaweb (Rio de Janeiro)
Foto com Almir Filho, Jaydson Gomes, Jean Carlo Emer e alguns participantes
16º Encontro Locaweb (Rio de Janeiro)

Resources

Compartilhe: